Maluf evita comentar investigações

O ex-prefeito Paulo Maluf decidiu não se manifestar sobre a ação de promotores de Justiça que investigam o caso da suposta remessa de dólares da Suíça para o paraíso fiscal na ilha de Jersey nem seus desdobramentos. A conta estaria no nome de Maluf e de seus familiares. Por meio de sua assessoria de imprensa, Maluf reafirmou hoje os termos da nota divulgada na noite de ontem."O estado de Direito no Brasil está sendo transformado em estado de terrorismo. Mente-se, difama-se, ameaça-se e a prova da inocência tem que ser conseguida pela vítima e não por quem acusa", diz a nota. Documento oficial do governo suíço enviado ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) revela o trajeto do dinheiro, US$ 200 milhões, de uma agência do Citibank na Suíça para outra do mesmo banco em Jersey (no Canal da Mancha).Segundo o mesmo documento, a operação teria sido efetuada em 1997. Na última segunda-feira, Maluf teve os sigilos bancário e telefônico quebrados, por determinação de juiz do Departamento de Inquéritos Policiais de São Paulo, na investigação de supostas contas bancárias. Maluf reafirmou, também por meio de sua assessoria, que não pretende recorrer da decisão judicial que autorizou a quebra dos sigilos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.