Maluf comenta decisão de Marta ir à justiça contra ele

A decisão da prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, de ir à Justiça contra as declarações de Paulo Maluf sobre uso do dinheiro público na campanha eleitoral foi comentada neste domingo pelo candidato do PP, que esteve em campanha na sede da igreja evangélica Assembléia de Deus em São Mateus, zona lesta da capital, "A Justiça existe para ser acionada, para dirimir dúvidas", afirmou. No sábado, o advogado de Marta, Hélio Freitas Silveira, declarou que entrará com um processo de notícia-crime contra Maluf, após este ter dito que a prefeita teria adquirido as peruas utilizadas na campanha petista com recursos das taxas municipais do lixo e da iluminação pública. Maluf disse que a candidata do PT teria colocado sua propaganda nos 180 mil postes da capital e em 900 peruas que rodam pela cidade distribuindo material de campanha. "Cada perua tem seis pessoas percorrendo os bairros. Segundo os meus cálculos, são distribuídas de 30 mil a 40 mil camisetas por dia", afirmou. "Quem paga isso? É o dízimo que eles cobram de maneira espúria de funcionários de livre provimento", disse, referindo-se a contribuição que todos os filiados eleitos para cargos públicos fazem ao partido. "Se não, não é nomeado. É um dinheiroduto". Na visita à igreja evangélica, Maluf estava acompanhado de seu candidato a vice-prefeito Salim Curiati Júnior, correligionários e candidatos a vereadores. Entre eles, estava o cantor Aguinaldo Timóteo, que, à capela, cantou à platéia de fiéis a música "Segura na mão de Deus". Mostrando-se conhecedor da letra, Maluf cantarolou a música em voz baixa. Maluf aproveitou a presença de seu vice para falar da divisão de tempo dos candidatos no horário eleitoral gratuito de televisão. Segundo ele, seu tempo será menor que o de seus principais concorrentes porque "não entrou em um leilão mercenário". "Estamos nós conosco", afirmou o ex-prefeito, dizebdo que o candidato tucano José Serra "engoliu" o seu candidato a vice-prefeito, Gilberto Kassab (PFL). "Serra falou tão mal do Pitta e para ter mais tempo engoliu seu braço-direito, que era o Gilberto Kassab, secretário de Planejamento do governo Pitta". Segundo Maluf, também a prefeita Marta Suplicy, que tem Rui Falcão do próprio PT como candidato a vice, teve de "engolir" o deputado Roberto Jefferson (PTB) em sua aliança para conseguir um tempo maior na televisão. "Com todo o meu respeito, ele é um bom deputado, mas é do Rio de Janeiro. Nem os federais do PTB em São Paulo estão com o PT", disse o candidato do PP, citando os deputados Ricardo Izar e Arnaldo Faria de Sá. De acordo com o site do TRE-SP, a coligação União por São Paulo, da candidatura da prefeita Marta, tem 7 minutos e 5 segundos; a do tucano José Serra, Ética e Trabalho, possui 7 minutos e 17 segundos. Já Maluf contará com apenas 2 minutos e 36 segundos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.