Maluf anuncia apoio a Marta com ataque a Serra

Com uma nota de sete linhas, recheada de ataques ao candidato do PSDB à Prefeitura, José Serra, o ex-prefeito Paulo Maluf (PP) anuncia hoje seu apoio à reeleição de Marta Suplicy (PT). Na declaração pública, obtida pelo Estado, Maluf diz que São Paulo corre ?um grande perigo? se Serra ganhar a disputa. Em tom belicoso, o candidato derrotado do PP afirma que o tucano é o tipo de homem em ?que ninguém pode confiar?.?A sua ambição não tem limite?, escreveu Maluf. ?Ele não gosta de São Paulo, ele só gosta dele próprio e com certeza vai abandonar a Prefeitura, para novamente ser candidato em 2006?, completou, numa referência à eleição presidencial. Apenas na última linha o ex-prefeito explica por que decidiu apoiar a prefeita, a quem chamou, em 2000, de ?grã-fina arrogante produzida em cabeleireiro de luxo?, entre outros comentários pejorativos. ?Vou votar na Marta para derrotar o Serra?, afirmou.Maluf está muito irritado com o candidato do PSDB. Desde terça-feira, quando foi indiciado pela Polícia Federal sob acusação de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, peculato, evasão de divisas e sonegação fiscal, Maluf repete que foi alvo de ?armação tucana?. Na quarta, ao depor no Ministério Público sobre uma suposta tentativa de suborno ao ex-vereador Armando Mellão, bateu na mesma tecla. ?Esse delinqüente está a serviço do Serra?, provocou.PalanqueA adesão de Maluf à campanha de Marta, no entanto, não chegará ao palanque nem ao programa eleitoral de TV da petista. Arquiinimigo do ex-prefeito, o PT pediu o apoio dele, mas depois tentou escondê-lo. Na terça-feira, quando Maluf foi indiciado, os petistas ficaram desorientados. Em conversas reservadas, alguns tentaram convencer o presidente do PT, José Genoino, a voltar atrás no pedido para que Maluf fizesse uma declaração de voto em Marta. O pragmatismo, porém, falou mais alto. ?Minha posição é pública: queremos os votos dos malufistas. Não se trata de dividir palanque nem programa de TV, muito menos de fazer aliança ou acordo?, desconversou Genoino. Em 2002, Maluf deu aval a Genoino no segundo turno da eleição para o governo, contra Geraldo Alckmin (PSDB). Mas os petistas não quiseram que ele aparecesse em nenhum ato de campanha.Agora, na disputa paulistana, Maluf ficou em terceiro lugar, com 11,9% dos votos válidos. Embora pesquisas indiquem que a maioria de seus eleitores apoiará Serra, ele garante que transferirá boa fatia do espólio para o PT. ?Vou levar votos para Marta com muitos argumentos contra o Serra?, disse o ex-prefeito.Vera RosaLeia a cópia da carta:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.