Maluf acusa Marta de montar ?dinheiroduto? para campanha

O candidato à Prefeitura de São Paulo, Paulo Maluf (PP), acusou nesta quarta-feira a prefeita Marta Suplicy (PT), candidata à reeleição, de montar um ?dinheiroduto?, com parte do salários dos servidores, para sua campanha. Segundo Maluf, ?o sujeito só é nomeado se pagar para o partido um pedaço do salário, que vai de 10% à 30%. É um dinheiroduto: a campanha é feita com dinheiro público?. Para ele, ?o que a atual gestão faz é uma coisa escusa e sórdida?. Maluf também criticou as contratações da Prefeitura. ?As subprefeituras mudaram de nome e viraram um cabidão de emprego?, afirmou. ?Foram anunciados mais 2 mil cargos sem concurso. E desses o PT ainda cobra o dízimo.? As afirmações foram feitas durante a primeira carreata de Maluf nesta campanha. Depois de visitar o comércio no Parque Arariba, zona sul, Maluf seguiu por 15 quilômetros distribuindo acenos e sinais de vitória, durante carreata de Campo Limpo a Cidade Dutra. No trajeto, o jipe que transportava o candidato, criador da lei que obriga o uso de cinto de segurança na cidade, levou um passageiro sem proteção, infração prevista no Código de Trânsito. O carro usado pelo candidato fez um retorno ilegal e estacionou na faixa expressa da Marginal Pinheiros. RespostaAs acusações de Maluf foram rebatidas por Ítalo Cardoso, presidente do Diretório Municipal do PT e um dos coordenadores da campanha de Marta Suplicy: ?Maluf está sendo investigado pela polícia, responde a mais de40 processos, e chegou a ser detido em Paris e ainda tem que explicarsobre sua assinatura em contas na Suíça. Ao dar essa declaração, ele sópode estar confundindo a administração atual com a da qual ele fezparte.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.