Maluf acusa Alckmin de inexperiência

O ex-prefeito de São Paulo, Paulo Maluf, divulgou, por meio de sua assessoria, no início desta tarde, uma nota em que ataca a atitude do governador do Estado, Geraldo Alckmin, no caso Silvio Santos. Atendendo a um pedido do seqüestrador Fernando Dutra pinto, que mantinha o empresário como refém, o governador esteve ontem na casa do apresentador. Na nota, Maluf acusa Alckmin de inexperiência, diz que o governador não poderia ter aceito "a chantagem de um assassino" e que o caso abre um precedente perigoso."Daqui para frente qualquer seqüestrador vai exigir sua presença", diz o texto assinado pelo ex-prefeito. Segundo a nota, não cabe a Alckmin a condução das negociações, já que esse é um trabalho técnico para o qual a polícia tem gente especializada. Maluf ataca ainda o fato de o governador não ter comparecido ao enterro dos policiais mortos pelo seqüestrador Fernando Dutra Pinto.Feldman defende atitude de AlckminPara o presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo, Walter Feldman (PSDB), as críticas à atuação do governador Geraldo Alckmin (PSDB) nas negociações com o seqüestrador Fernando Dutra Pinto, no caso do seqüestro do empresário Silvio Santos, são equivocadas. "Quem solicitou a presença do governador foi a vítima. Como alguém pode não estender a mão num momento desse?", questionou.Feldman afirmou que a ida de Alckmin à casa do empresário foi decisiva para que o caso não terminasse de maneira trágica. "Devemos reconhecer que levou a resultados e surtiu o efeito que toda a sociedade esperava. Silvio Santos está vivo e bem, e o seqüestrador está preso", disse Feldman.Ele não acredita que o fato sirva de inspiração para outros criminosos. "Não acho que outros exigirão também a presença do governador. Com essa ação, Alckmin mostrou seu nível de coragem e envolvimento para resolver os problemas de segurança em São Paulo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.