Malta nega crise entre PR e governo Dilma

O senador Magno Malta (PR-ES) disse na tarde de hoje que não existe uma crise entre o partido e o governo em razão do afastamento de diversos integrantes do Ministério dos Transportes e do DNIT, por conta das recentes denúncias de corrupção envolvendo a Pasta. Para ele, a decisão da presidente Dilma Rousseff foi acertada.

KARLA MENDES E DENISE MADUEÑO, Agência Estado

04 de julho de 2011 | 17h56

"A presidente não errou. Tem que afastar mesmo até que se apure tudo isso", disse, ao chegar no Ministério dos Transportes para reunião com o ministro Alfredo Nascimento. Na visão dele, se no futuro for comprovado que as denúncias são infundadas, os supostos envolvidos poderão retornar ao posto original. "Se tem inocente nisso, que tenha o benefício da dúvida para se defender", disse. Malta informou que, como líder da base do governo, o partido quer divulgar ainda hoje uma nota sobre o assunto.

O senador Clésio Andrade (PR-MG) reforçou o apoio ao ministro Alfredo Nascimento, que, segundo ele, tem total apoio do partido e da presidente. "O ministro é um homem sério e tem toda a confiança do partido e da presidente", afirmou. Ele comparou que, enquanto nos últimos anos do governo Fernando Henrique Cardoso o Ministério investiu cerca de R$ 500 milhões a R$ 600 milhões por ano, no governo Lula, esse número saltou para R$ 20 bilhões anuais e que "ainda é pouco". "Deveria ser R$ 100 bilhões por ano". Andrade destacou que esse avanço nos investimentos tem sido alcançado com a capacidade de trabalho do ministro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.