Malan não quer acareação com Andrade Vieira

O ministro da Fazenda, Pedro Malan, afirmou hoje, durante debate na CPI do Proer, que não tem interesse e não vai fazer um "bate-boca político" com o ex-ministro e ex-controlador do Bamerindus, José Eduardo Andrade Vieira (PTB-PR). Malan deu essa declaração em resposta ao deputado Ivan Valente (PT-SP), que propôs ao ministro participar de uma acareação com Andrade Vieira para solucionar contradições entre os depoimentos de ambos. Malan disse que não tem interesse, porque a acareação se transformaria "num bate-boca político com um ex-banqueiro, que serviria de palanque político para outros fins".Apesar da negativa de Malan, Valente disse que encaminhará requerimento à presidência da CPI do Proer, para que seja feita a acareação. O deputado também já encaminhou requerimento solicitando uma acareação entre Andrade Vieira e o ex-presidente do Banco Central, Gustavo Loyola. Esse requerimento deverá ser votado pelos membros da CPI esta tarde.Malan cobrou de Andrade Vieira que ele venha a público para nomear os funcionários do Banco Central que teriam lançado boatos sobre a situação do Bamerindus, o que teria agravado a situação da instituição, levando a sua liquidação. As acusações foram feitas por Vieira em depoimento também à CPI do Proer. "Se ele tem os nomes a citar, nomeie-os!", desafiou Malan. Segundo Malan, o ex-senador pode solicitar uma nova audiência à CPI e declarar publicamente os nomes dos acusados. Malan lembrou que teve uma conversa com Vieira, na qual sugeriu que ele se afastasse do Ministério da Agricultura, que ele ocupava na época, para concentrar-se na gestão do Bamerindus. Informou ainda que, posteriormente, teve novo encontro, desta feita junto com o então presidente do Banco Central, Gustavo Loyola, no qual deixaram claro que era inevitável que houvesse uma capitalização do Bamerindus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.