"Malan não conhece o Brasil", diz Lula

O presidente de honra do Partido dos Trabalhadores (PT), Luiz Inácio Lula da Silva, criticou neste sábado o ministro da Fazenda, Pedro Malan, ao comentar as medidas econômicas adotadas pelo governo federal na ofensiva para conter a disparada do dólar.Para o petista, provável candidato do partido à Presidência em 2002, Malan não conhece o Brasil. "Se o Malan conhecesse um pouco o Brasil, saberia que o que traz capital para um país é mercado, mão-de-obra qualificada e infra-estrutura", afirmou."Eles (Malan e o presidente Fernando Henrique Cardoso) endividaram o Brasil de forma fantástica, quase impagável."Lula disse considerar a medida do governo federal ? de ampliação da captação de recursos externos em US$ 10,8 bilhões e que inclui saque de US$ 2 bilhões de empréstimo e o adiamento do pagamento de US$ 1,8 bilhão (previsto para dezembro) ao Fundo Monetário Internacional (FMI) ? "a demonstração da falência que eles (governo) levaram à soberania nacional".Para o provável candidato do PT à Presidência, o Brasil tem condições de andar "por suas próprias pernas"."A equipe econômica não acreditou na produção, no mercado interno. Preferiu acreditar na especulação e enveredou por um caminho que, cada vez que qualquer país do mundo treme, o Brasil é quem leva a bordoada", afirmou Lula. Ele disse ainda lamentar que o Brasil continue dependente do capital externo e do FMI.O presidente de honra do PT disse considerar que a corrupção existente no País influencia a violência. "A violência começa na degradação da sociedade brasileira que está saturada de ver tanta gente com título de autoridade roubando e o povo passando fome", afirmou."Um menino vê senador roubando, deputado roubando, Nicolau (o juiz Nicolau dos Santos Neto) roubando e pensa que só ele é que é honesto neste País."Lula participou nesta sexta-feira de um seminário sobre segurança pública no Jardim Ângela (zona Sul), bairro mais violento de São Paulo, onde a taxa de assassinatos é de 116 por grupo de 100 mil habitantes. A média de homicídios na cidade é de 55 por grupo de 100 mil habitantes.O seminário, organizado pelo Instituto Cidadania (Organização Não-Governamental fundada e coordenada por Lula), ouviu da população local propostas no combate à violência.O evento, que contou também com a presença da prefeita Marta Suplicy (PT), faz parte de uma série de estudos sobre o tema que resultará em um projeto a ser apresentando em outubro. Os estudos, de diferentes temas, realizados por especialistas e técnicos do Instituto Cidadania costumam ser utilizados pelo PT em seus planos de governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.