Malan diz que Suplicy não cumpriu "promessa pública"

O ministro da Fazenda, Pedro Malan, divulgou hoje carta enviada ao senador Eduardo Suplicy (PT-SP), lamentando que o senador não tenha cumprido a "promessa pública" de encaminhar ao Ministério, esta semana, relato de uma pessoa que tinha conhecimento sobre venda de informações privilegiadas do Banco Central a agentes do mercado financeiro, em 1998. Durante audiência pública realizada na semana passada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Suplicy afirmou que uma pessoa do mercado financeiro o procurara para informar que alguns bancos de investimento, entre eles os bancos Marka e FonteCindam, costumavam pagar uma quantia mensal a pessoas do Banco Central para obter informações privilegiadas que propiciaram a esses bancos operações "altamente lucrativas". Durante a audiência pública, Malan solicitou que o senador pedisse a esta suposta testemunha que apresentasse publicamente a denúncia. O senador se comprometeu a solicitar a essa pessoa que escrevesse uma carta relatando todos os fatos que conhecia, e que enviaria o material ao ministro da Fazenda ainda esta semana. O senador Eduardo Suplicy (PT-SP), por sua vez, disse hoje à Agência Estado que foi o ministro da Fazenda, Pedro Malan, que não quis se encontrar com a testemunha que tinha conhecimento sobre venda de informações privilegiadas do Banco Central a agentes do mercado financeiro, em 1998. Segundo o relato de Suplicy, Malan teria dito que não iria se sujeitar a encontrar com uma pessoa sob reservas. "Eu não posso forçar a pessoa a se apresentar ao ministro, mesmo porque ela está preservada com direito constitucional" afirmou. ?Eu não fiz promessa pública. Só disse que se ele quisesse encontrar a pessoa para ouvi-la, seria possível, desde que fosse preservada a identidade, mas ele se recusou", contestou Suplicy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.