Malan diz que o PT queria parar o País com a CPI

O ministro da Fazenda, Pedro Malan, disse hoje que o PT pretendia inviabilizar o governo com a CPI da Corrupção e que o governo impediu a formação da comissão para que os trabalhos do legislativo não fossem paralisados. Malan ressaltou que a CPI era o desejo de partidos de oposição, "que formam apenas um terço do Congresso Nacional". "Em qualquer parte do mundo a oposição inferniza a vida do governo, azucrina o governo e isto é aceitável. O que não é aceitável é a tentativa explícita de inviabilizar o governo", disse.Malan citou entrevista do ex-governador do Distrito Federal, Christovam Buarque, na qual o petista disse que seu partido precisa escolher entre querer novamente ter mais votos entre a oposição ou se pretende indicar propostas para governar o País. "Uma opção exige um determinado tipo de estratégia de inviabilização do governo para dar base para o discurso de quanto pior melhor. A outra, e que eu venho sugerindo de boa fé há mais de três anos, é que a oposição, se quiser ser uma alternativa crível e confiável para o poder, se comporte como as oposições de países organizados, que chegaram ao poder não questionando coisas unanimemente aceitas, como a responsabilidade fiscal e o combate à inflação."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.