Mal-estar interrompe depoimento de petista à CPI

Depois de mais de oito horas de interrogatório na CPI da Segurança Pública, o presidente do Clube de Seguros da Cidadania, o petista Diógenes de Oliveira, sentiu-se mal e suspendeu o depoimento que dava aos parlamentares.Das 14h30 às 23h30, o petista foi sistematicamente questionado sobre a origem dos recursos para a compra da sede estadual do PT.De acordo com o médico da Assembléia Legislativa, Diógenes apresentou taquicardia e elevação acentuada da pressão. Apesar do mal-estar, o petista não demonstrou nervosismo ou abatimento durante seu depoimento.Por várias vezes, inclusive, ironizou as perguntas dos deputados. O interrogatório deverá ser retomado nesta quinta-feira, para comprovar os pagamentos do prédio usado pelo PT desde a campanha de 98.Diógenes entregou o livro caixa do Clube da Cidadania com os registros contábeis de 1998, mas os parlamentares consideraram o documento não comprobatório, pois foi assinado recentemente.O petista também insistiu na convocação de seus contadores para explicar os registros contábeis do clube, mas os parlamentares consideraram desnecessário. ?Se ele não sabe explicar, ninguém vai saber explicar essa maçaroca?, disse o relator Vieira da Cunha (PDT).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.