Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Major Olímpio diz que PSL não deve participar de governo Doria

Senador eleito afirma ainda que defende Janaína Paschoal no comando da Assembleia de São Paulo

Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2018 | 21h03

BRASÍLIA - O senador eleito Major Olímpio, presidente do PSL de São Paulo, disse nesta segunda-feira, 12, que seu partido não deverá participar do governo de João Doria (PSDB). Ressalvou, no entanto, que, se algum deputado do PSL aceitar cargo na equipe tucana, isso não representará qualquer vínculo da sigla com a administração estadual.

“A maioria do PSL decidiu ficar neutra em relação ao governo Doria”, afirmou Major Olímpio, que é muito próximo do presidente eleito, Jair Bolsonaro. “Agora, as escolhas são pessoais. Doria me disse que no governo dele não vai ter essa conversa de cota de partido nem mesmo com o próprio PSDB”, emendou.

Major Olímpio conversou nesta segunda-feira com Doria, em São Paulo. Avisou a ele que o PSL lançará a candidatura da deputada eleita Janaína Paschoal para a presidência da Assembleia Legislativa paulista. O futuro governador reafirmou que apoiará a recondução do deputado Cauê Macris (PSDB). “Deixamos claros as contendas e o fato de estarmos em trincheiras opostas. Eu disse que vamos à luta buscar votos para eleger Janaína e ele defendeu Cauê Macris. Tudo absolutamente republicano”, afirmou o senador eleito. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.