Mais um sem-terra é assassinado no interior de AL

Mais um trabalhador rural sem-terra foi assassinado no Assentamento Brasileirinho, na cidade de Atalaia, a 53 quilômetros de Maceió. Segundo a Polícia Civil, José Petrônio da Silva, de 25 anos, foi morto, hoje, em um barraco com dez golpes de faca. Não houve testemunhas e, por isso, a polícia não tem pistas do assassino. José Petrônio tinha dois parentes que são integrantes do Movimento Sem Terra (MST) no município: a mãe e o irmão. O delegado, Gilson Rêgo, deve começar na próxima quinta-feira a investigar o crime. Este mesmo delegado entregou hoje à Justiça o inquérito que investigava a morte do trabalhador sem-terra, Jaelson dos Santos. O delegado pediu mais 30 dias para concluir as investigações. Até agora, 20 pessoas entre trabalhadores rurais e familiares foram ouvidos pela polícia. Até o momento, a polícia possui dois suspeitos, mas por ainda não tem provas concretas contra os mesmos, por isso ninguém foi indiciado ou teve a prisão temporária decretada.Jaelson dos Santos foi assassinado no dia 29 de novembro do ano passado, no Assentamento Timbozinho, na zona rural da cidade de Atalaia.Jaelson liderava cerca de 600 famílias de seis assentamentos e acampamentos na região de Atalaia. Ele foi assassinado a menos de 3 quilômetros do local onde outro líder do MST, José Evanilson foi morto em 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.