Mais um deputado do PT-MG pode ter diplomação suspensa

A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) em Minas Gerais ajuizou nesta sexta-feira, 15, representação contra o deputado estadual reeleito pelo PT, Durval Ângelo, solicitando que sua diplomação seja negada ou cassada caso ele já tenha sido diplomado quando do julgamento final. A PRE argumenta que "existem fortes evidências" de que os recursos usados para abastecer a campanha do deputado federal eleito Juvenil Alves (PT-MG) - que teve a diplomação suspensa em liminar confirmada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) - foram compartilhados por Durval. O TRE apontou prática de caixa dois na campanha de Juvenil. O deputado federal eleito e Durval fizeram uma "dobradinha" durante a campanha deste ano. Conforme a Procuradoria, no material recolhido durante a Operação Castelhana da Polícia Federal (PF) existem indícios de que o candidato teria recebido de Juvenil um montante superior aos R$ 15.319,18 declarados à Justiça Eleitoral. A PRE argumenta também que peritos do TRE afirmaram em relatório que "há evidências do recebimento de recursos financeiros, no valor de R$ 303.718,60, recursos esses não declarados na prestação de contas". No último dia 10, a Corte do tribunal rejeitou as contas apresentadas por Durval. A assessoria de imprensa do deputado estadual reeleito disse que ele não havia sido notificado da representação e por isso não iria se manifestar.

Agencia Estado,

15 Dezembro 2006 | 20h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.