Mais magro e grisalho, Lula posa para nova foto oficial

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva posou na manhã desta sexta-feira, por cerca de 20 minutos, no jardim do Palácio da Alvorada para a fotografia oficial do segundo mandato. Diferentemente do retrato oficial tirado no primeiro governo, ele aparece usando a faixa verde e amarelo, com a bandeira nacional na lapela. Com tempo nublado, Lula vestia um terno azul escuro, uma camisa branca e uma gravata vermelha e de listas. Na foto em ângulo americano - da cintura para cima -, ele está mais magro e com cabelos bem mais grisalhos que na imagem feita em 2003, num estúdio montado no Palácio do Planalto. A nova fotografia oficial resgata a tradição dos antecessores dele de posar com a faixa, símbolo instituído em 1910, pelo então presidente Hermes da Fonseca. A galeria de fotos de ex-presidentes, no terceiro andar do Palácio do Planalto, exibe 19 governantes com faixa e 17 sem faixa, já incluindo a segunda foto de Lula, que será também ali afixada. Desde o período da redemocratização, apenas Lula no primeiro mandato e Itamar Franco posaram sem a faixa. É a primeira vez, no entanto, que um presidente posa para foto oficial ao ar livre. A idéia do fotógrafo oficial da Presidência, Ricardo Stuckert, de fotografar o presidente fora de estúdio segue a linha das imagens oficiais de líderes europeus. O presidente francês, Jacques Chirac, por exemplo, posou no jardim de um palácio. Foi também de Ricardo Stuckert a sugestão de tirar foto de Lula com a faixa, para diferenciar da feita no início do primeiro mandato. O presidente, segundo assessores, gostou da idéia da faixa e de posar no jardim do Alvorada, com as colunas do palácio fora de foco ao fundo. Stuckert fez 30 fotos, escolhendo quatro para prova. Lula optou por uma, a que irá para todas as repartições públicas do País. Filho do fotógrafo Roberto Stuckert, que trabalhou para o presidente João Figueiredo (1979-1985), Ricardo Stuckert acompanha Lula desde o início do primeiro governo, em janeiro de 2003.

Agencia Estado,

05 Janeiro 2007 | 19h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.