Mais dois skinheads vão a julgamento em SP

Mais dois "skinheads" - Roberto Fernando Gross Dias e David Alves dos Santos Júnior - acusados de participar do bando que espancou até a morte o adestrador de cães Edson Neres, em 6 de fevereiro de 2000, na Praça da República, serão levados a julgamento amanhã, no 1º Tribunal do Júri da Capital, na Barra Funda. A vítima foi agredida porque caminhava de mãos dadas com Dario Pereira Neto, que conseguiu escapar.O promotor Marcelo Camargo Milani vai pleitear a condenação dos réus a pena variável de 15 a 50 anos de cadeia por homicídio e tentativa de morte qualificados.Ao todo, foram denunciados 18 acusados, mas a prova reunida na instrução do processo permitiu mandar a júri apenas nove. Desses, quatro já foram condenados: os líderes do bando, Juliane Filipine e José Nilson Pereira da Silva (21 anos de prisão cada um), Jorge da Cunha Soler (2 anos e 10 meses, em regime aberto, por tentativa de morte), e Wanderlei Cardoso de Sá (19 anos e 6 meses de cadeia). Dois foram absolvidos: Marcelo Pereira Martins e Regina Saran.O julgamento será presidido pelo juiz Luis Fernando Camargo de Barros Vital e deverá se prolongar por dois dias consecutivos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.