Maioria dos alemães rejeita alimentos transgênicos

Se depender da Alemanha, os produtos geneticamente modificados não terão a menor chance de comercialização. A ministra da Defesa do Consumidor, Alimentos e Agricultura, Renate Künast, disse hoje que os produtos, conhecidos como transgênicos, são rejeitados pela maioria da população de seu país. "Pesquisas de opinião na Europa apontam reservas para os transgênicos", disse ela, durante a abertura do 9º Encontro Econômico Brasil-Alemanhã, que começou ontem e será realizado até a próxima quarta-feira, em Goiânia. A ministra também criticou quem afirma que está nos produtos geneticamente modificados a solução para a fome no mundo. "Não acredito que seja a solução para a fome e acho que pode provocar mais problemas ecológicos", disse a ministra. O Brasil detém mais de 70% da biodiversidade mundial, mas a ministra acredita que existe a necessidade de inovações no campo da agricultura e pecuária para preservar este tesouro. "Hoje, com a tecnologia do CPS é possível calcular a qualidade dos adubos para a lavoura, o que reduz custos e ajuda a preservar o meio ambiente e a saúde do consumidor", afirmou a ministra. Ela lembrou que esse consumidor está cada vez mais interessado em sustentabilidade econômica, social e ambiental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.