Hugo Harada/Gazeta do Povo
Hugo Harada/Gazeta do Povo

'Maioria do PSDB é contra CPMF e cautelosa com impeachment', diz governador do Paraná

Cinco dos seis chefes de Executivos estaduais tucanos se reuniram no Palácio dos Bandeirantes e foram a evento de Jorge Gerdau

Igor Gadelha, Pedro Venceslau e André Ítalo, O Estado de S. Paulo

22 de setembro de 2015 | 15h30

São Paulo - Depois de participar de almoço no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, cinco dos seis governadores do PSDB foram juntos ao Congresso Brasil Competitivo, evento organizado pelo empresário Jorge Gerdau, e disseram que a maioria do partido está unida contra a iniciativa do governo de voltar a cobrar a CPMF. "A maioria do PSDB é contra a recriação da CPMF", afirmou o governador do Paraná, Beto Richa, ao chegar ao evento.

O governador paulista, Geraldo Alckmin, recebeu nos Bandeirantes os tucanos Marconi Perillo (GO), Pedro Taques (MT) e Reinaldo Azambuja (MS), além de Richa. O único ausente dos chefes de Executivos estaduais do PSDB foi o paraense Simão Jatene.

Segundo Richa, o movimento pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff não encontra no partido o mesmo consenso. "É preciso um fato jurídico concreto. A Constituição determina que se trata de uma determinação política, mas que precisa estar baseada em fatos concretos", afirmou. "O que temos que fazer hoje é aguardar a decisão do TCU." 

Essa é a mesma posição que já manifestada outras vezes por Alckmin e pelos demais governadores do PSDB. Recém-filiado à legenda, Pedro Taques afirmou em entrevista exclusiva à TV Estadão que não há nada na Constituição que impeça a investigação de Dilma, mas essa decisão é prerrogativa do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. As bancadas tucanas no Congresso apoiam majoritariamente o movimento pelo impeachment da presidente.

Tudo o que sabemos sobre:
PSDBimpeachmentCPMFajuste fiscal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.