Esteban Garay/Reuters
Esteban Garay/Reuters

Maioria de críticas contra mim são fake news, algumas até mereço, diz Bolsonaro

Presidente admitiu que tem 'falhas' em meio a ambiente de protestos agendados contra ele no Chile

Daniel Weterman e Ricardo Galhardo, enviados especiais, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2019 | 17h40

SANTIAGO - Alvo de protestos agendados para esta sexta-feira, 22, e sábado, 23, em Santiago, Chile, o presidente Jair Bolsonaro declarou que a maioria das críticas contra ele são "fake news", mas admitiu que tem "algumas falhas" e que até merece algumas críticas.

"A grande maioria, sim [são fake news]. Algumas [críticas] até mereço, sei que eu tenho minhas falhas", declarou. Os presidentes da Câmara e do Senado do Chile se recusaram a participar de um almoço com Bolsonaro no sábado. Para se defender das acusações de que é machista, misógino, racista e homofóbico, o presidente afirmou que foi eleito no Brasil com muitos votos de minorias.

Ele ainda declarou que não deu motivos aos opositores do presidente do Chile, Sebastián Piñera, para terem recusado o convite. Bolsonaro minimizou também os protestos contra ele na capital chilena. "No Brasil, também tem meia dúzia que protesta contra mim o tempo todo. Se tem aqui, é normal", disse. 

O presidente, que está na primeira visita oficial ao País, participou nesta sexta do evento de lançamento do Prosul, documento assinado pelo Brasil, Chile, Paraguai, Argentina, Colômbia, Equador, Peru e Guiana para criação de um bloco regional com medidas econômicas multilaterais e de "marco institucional flexível", segundo o texto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.