Maioria apoia poder policial para Forças Armadas

A pesquisa promovida pelo Cepam e pela Secom, realizada com prefeitos paulistas, mostra que a maior parte deles é a favor da atribuição de poder de polícia às Forças Armadas. De acordo com o levantamento, 53% dos prefeitos são favoráveis, apesar de a segurança ser tarefa do governo estadual. O PT é o único partido em que a maioria é contra (56%). No PSDB, a maior parte dos prefeitos é a favor (51%) do poder de polícia para as Forças Armadas, mas é no PTB que o porcentual chega ao máximo: 75%."Isso indica que a segurança pública é um problema generalizado. O prefeitos querem dizer que são a favor de mais polícia", declarou Fernando Limongi, presidente do Cebrap.A segurança, no entanto, não está entre as cinco principais carências dos prefeitos paulistas. Apenas 4,8% dos 624 prefeitos apontaram a segurança como a principal questão da cidade. Ela perde para economia e emprego, saúde, infraestrutura, educação e habitação.Quando o assunto é pena de morte, os prefeitos se posicionaram majoritariamente contra: 70%. Esse porcentual é maior entre os prefeitos do PT (86% deles são contra a pena de morte e apenas 13% a favor) e menor entre os do PMDB (68% são contra e 29% a favor). Para os prefeitos, a prioridade na gestão será saúde (30%) e educação (26,3%). Assistência social é prioridade para apenas 6,1% dos prefeitos. Os programas de transferência de renda, leia-se Bolsa-Família, têm a preferência dos prefeitos, com 76,2% das citações na área de assistência social.Questionados sobre a reforma agrária, a maioria dos prefeitos se posicionou a favor da desapropriação de terras improdutivas. No PT, é onde aparece o maior porcentual de prefeitos a favor: 87%. É seguido pelo DEM (85%) e pelo PSDB (82%).Está no PTB o maior número de prefeitos que declararam ser contra a desapropriação de terras improdutivas para reforma agrária: 19% disseram não apoiar a medida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.