André Dusek/AE
André Dusek/AE

Maioria absolve professor Luizinho, Anita e ex-assessor de ministro

Ministro relator Joaquim Barbosa condenou ex-ministro dos Transportes e dois ex-deputados

O Estado de S. Paulo

11 de outubro de 2012 | 18h27

O ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), terminou na sessão desta quinta-feira, 11, a leitura dos votos de réus ligados ao PT acusados de lavagem de dinheiro. Barbosa condenou ex-ministro dos Transportes Anderson Adauto, os ex-deputados Paulo Rocha e João Magno e absolveu Anita Leocádia, Luiz Carlos da Silva (professor Luizinho) e José Luiz Alves. Depois de Barbosa, votaram o revisor Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio Mello, Luiz Fux, Rosa Weber, Cármen Lúcia e Dias Toffoli. Por conta da ausência de Gilmar Mendes, o presidente decidiu continuar o julgamento na próxima sessão, na segunda-feira, 15. Faltam portanto o voto de Mendes, Celso de Mello e Ayres Britto.

Logo após proferir o seu voto, Barbosa tentou ler ainda o item 8 da denúncia, relacionado à acusação do Ministério Público Federal por lavagem de dinheiro contra o publicitário Duda Mendonça e a sua sócia, Zilmar Fernandes Silva. Os dois também são acusados de evasão de divisas. Duda foi o marqueteiro da campanha presidencial do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A defesa dos publicitários alega que eles receberam dinheiro de forma lícita como pagamento por serviços prestados durante a campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva em 2002.

Entre outros argumentos, a defesa sustenta ainda que os recursos foram repassados para pagamentos de dívidas de campanha. Essa alegação já foi rebatida pelo tribunal no julgamento de outros réus também acusados de envolvimento com o esquema.

Na sessão dessa quarta, 10, Joaquim Barbosa votou pela condenação do ex-deputado federal do PT João Magno (MG) e pela absolvição de Anita Leocádia, à época assessora do ex-deputado Paulo Rocha. Antes, a Corte finalizou o julgamento do chamado núcleo político, que condenou José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.