Maior pena pode ir para Valério e os sócios: 43 anos

Integrantes do ?núcleo publicitário? vão responder por cinco crimes

Guilherme Scarance e Isabela Salgueiro, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2030 | 00h00

Os três réus que podem sofrer a maior condenação no processo do mensalão estão incluídos no núcleo publicitário do esquema. O empresário mineiro Marcos Valério e seus sócios Ramon Hollerbach e Cristiano de Mello Paz responderão a nada menos do que cinco crimes - corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e evasão de divisas. Somadas, as penas máximas possíveis para os três publicitários são 43 anos de prisão.Cinco réus são acusados por quatro crimes. Estão na lista Geiza Dias dos Santos e Simone Reis Lobo de Vasconcelos - do núcleo publicitário -, por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e evasão de divisas. Se condenadas, as penas somadas podem atingir 31 anos. Kátia Rabello, José Roberto Salgado e Vinícius Samarane, ex-dirigentes do Banco Rural, do núcleo financeiro, são acusados de gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e evasão de divisas. A pena total é de 25 anos.No outro extremo, 7 dos 40 processados responderão por um único crime. São: a assessora do PT Anita Leocádia, o ex-chefe de gabinete na Câmara José Luiz Alves, o deputado Paulo Rocha (PT-PA) e os ex-deputados João Magno (PT-MG) e Professor Luizinho (PT-SP), por lavagem de dinheiro (pena de até 10 anos); o ex-secretário de Comunicação de Governo Luiz Gushiken (peculato, até 12 anos) e o ex-secretário-geral do PT Sílvio Pereira (formação de quadrilha, até 3 anos).Sílvio ficou em situação melhor que os outros três réus do núcleo político-partidário da "organização", que teria arquitetado o "engenhoso esquema" do mensalão. O ex-ministro José Dirceu (PT), classificado pelo Ministério Público como "chefe incontestável" de toda a operação, o ex-presidente do PT José Genoino e o ex-tesoureiro Delúbio Soares responderão por corrupção ativa e formação de quadrilha. Se condenados, podem pegar até 15 anos de cadeia.RANKINGO crime que mais apareceu na decisão do Supremo foi o de lavagem de dinheiro - ao todo, 35 pessoas vão responder por essa acusação. Na seqüência, vem a formação de quadrilha, com 24 réus. Já o crime de corrupção - segundo o Ministério Público, o mensalão foi um esquema engendrado para comprar apoio para ampliar a base governista - atingiu 23 pessoas. São 13 listados por corrupção passiva e 10 por corrupção ativa.O crime que menos apareceu foi o de gestão fraudulenta, associado a 4 acusados - todos ex-dirigentes do Banco Rural. De acordo com a Procuradoria-Geral da República, o grupo ajudou a forjar empréstimos fictícios, além de obter vantagens e facilitar operações de lavagem de dinheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.