Luis Macedo/Agência Câmara
Luis Macedo/Agência Câmara

Maia registra 'blocão' de 13 partidos para eleição da Câmara

Maior bloco parlamentar oficial para participar da disputa reúne 359 deputados que defendem recondução do atual presidente da Casa

Igor Gadelha e Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2017 | 13h49

BRASÍLIA - A menos de 24 horas para a eleição da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, os partidos registraram no fim da manhã desta quarta-feira, 1, três blocos parlamentares oficiais para participar da disputa. O maior bloco será o que apoia a reeleição do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), seguido pelo bloco da oposição e pelo de sustentação a Jovair Arantes (PTB-GO), também candidato a presidente.

O "blocão" de Maia é formado por 13 partidos da base aliada, que reúnem juntos 359 deputados. São eles: DEM, PSDB, PMDB, PSB, PPS, PP, PR, PSD, PRB, PHS, PTN, PV e PTdoB. Com o tamanho do bloco, a chapa de Maia deverá ter direito a todos os principais cargos da Mesa Diretora: as duas vice-presidências e as quatro secretarias. Além disso, deve ter direito a uma das quatro suplências.

Já o bloco da oposição será formado por PT, PDT e PCdoB, que somam juntos 90 deputados. Com isso, devem ter direito apenas a duas suplências da Mesa. PT e PDT apoiam a candidatura do deputado André Figueiredo (PDT-CE), único representante da oposição na disputa. Já o PCdoB, apesar de integrar o mesmo bloco da oposição por "identidade ideológica", informou que continuará votando majoritariamente em Maia.

O bloco de apoio a Jovair, por sua vez, é formado por cinco partidos, que juntos têm 39 deputados. São eles: PTB, Solidariedade, PROS, PSL e PRP. Com esse número de integrantes, o bloco deve ter direito somente a uma das quatro suplências da Mesa Diretora. O PSC, que até agora vinha apoiando o candidato do PTB, decidiu não integrar o bloco. Até o momento, porém, não apresentou justificativa.

De acordo com o regimento interno da Câmara, os partidos integrantes de cada bloco terão direito a disputar avulsamente as vagas a que aquele bloco tem direito na Mesa Diretora. Os líderes partidários, porém, estão negociando acordo para dividir as vagas a que têm direito entre os integrantes do bloco e, assim, evitar ter candidaturas avulsas de várias legendas para o mesmo cargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.