Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Maia planeja desfiliação do DEM até o fim do mês e vai alegar ‘justa causa’ para manter mandato

Pedido deve ser analisado pelo TSE para determinar se motivação está de acordo com lei de fidelidade partidária

Marcelo de Moraes, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2021 | 10h00

BRASÍLIA – O ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse ao Estadão que planeja apresentar seu pedido de desfiliação do DEM até o final do mês. Maia vai fazer o pedido junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) alegando “justa causa”, já que ficou sem condições de permanecer na legenda depois dos embates públicos que teve com o comando do partido durante a eleição para a Presidência da Câmara. 

Assim que for enviado, o recurso precisará ser analisado pelo TSE para saber se há procedência no pedido. Pela lei de fidelidade partidária, Maia só poderá mudar de sigla se o tribunal considerar que há um motivo forte o suficiente que justifique isso. Do contrário, perderá o direito ao mandato parlamentar se deixar o DEM. 

A princípio, havia até a intenção da direção do partido de permitir que Maia deixasse a legenda, sem reivindicar o seu mandato. Mas com o acirramento da briga com o presidente do DEM, ACM Neto, a quem criticou o caráter, isso foi colocado de lado. 

Maia disse ao Estadão que ainda não decidiu a qual partido pretende se filiar. Segundo ele, essa decisão será tomada apenas mais para frente. Entre as opções possíveis estão PSDB, PSL, MDB e Cidadania e até uma nova legenda que seja fruto da fusão de partidos atuais e que poderia abrigar uma frente política de centro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.