Najara Araujo/Câmara dos Deputados
Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Maia diz que não é hora de pensar em impeachment e que tema exige equilíbrio

'Tenho que ter muito cuidado, isenção', disse o presidente da Câmara, antes de sessão do TCU que analisa contas do governo

Marlla Sabino, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2020 | 12h35

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reforçou nesta quarta-feira, 10, que não é o momento de analisar um pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. Como presidente da Casa, caberá a Maia aceitar ou não os processos protocolados contra o chefe do Executivo.

"Não é hora de pensar em impeachment. É preciso união para salvar vida a empregos. O presidente da Câmara decide pelo sim ou pelo não. Tenho que ter muito cuidado, isenção e equilíbrio", disse.

O presidente da Câmara concedeu entrevista na manhã desta quarta à Rádio Gaúcha. A conversa começou antes mesmo da participação de Maia na abertura da sessão extraordinária do Tribunal de Contas da União (TCU) que analisa as contas do primeiro ano do governo de Bolsonaro. 

Entre outros assuntos, Maia defendeu a União dos Poderes e afirmou que, caso alguém do governo discorde de alguma decisão de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), deve apresentar recurso para que o caso seja analisado pelo plenário.

A declaração acontece após o vice-presidente, Hamilton Mourão, afirmar que, em alguns casos, há excesso por parte de ministros da Suprema Corte. "Se o Mourão acha que a decisão de algum ministro do STF ultrapassa algum limite, pode recorrer ao plenário para saber qual a decisão de todos os ministros.

Tudo o que sabemos sobre:
Rodrigo MaiaJair Bolsonaroimpeachment

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.