Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Maia diz que falará de Previdência durante a campanha 'com maior prazer'

Pré-candidato da eleição de outubro, presidente da Câmara diz que reforma sempre foi uma de suas bandeiras

Isadora Peron, Daiene Cardoso, Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2018 | 14h39

BRASÍLIA - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta sexta-feira, 16, que, se a reforma da Previdência não for aprovada em fevereiro, defenderá a medida “com o maior prazer” durante a campanha deste ano. Ele é um dos pré-candidatos na corrida pelo Palácio do Planalto.

A declaração de Maia foi dada durante um café da manhã com jornalistas, em Brasília. Ele admitiu que, com a publicação do decreto de intervenção na segurança pública do Rio, será difícil votar a reforma em fevereiro, como o previsto.

+++ Intervenção no Rio poderá cessar quando Previdência estiver para ser votada, diz Temer

Segundo ele, muitos deputados terão dificuldade em discutir o assunto a partir de março, porque muitos tentam a reeleição. Ele, no entanto, diz que essa sempre foi uma das suas bandeiras e que vai levantá-la durante a campanha.

+++ Crise na segurança pública põe ministro da Justiça na berlinda

+++ Leia a íntegra do decreto de intervenção federal no Rio na área de segurança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.