Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Maia diz que confia na Justiça e que inquérito será arquivado

Presidente da

Isadora Peron /, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2017 | 18h48

BRASÍLIA - O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta terça-feira, 11, que confia na Justiça e tem convicção de o inquérito aberto contra ele pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, será arquivado. Maia é um dos 42 deputados que serão investigados pelo Supremo com base na delação de executivos e ex-executivos da Odebrecht.

“Eu vou repetir o que eu sempre tenho dito: eu confio na Justiça, confio no Ministério Público e confio na Polícia Federal. Os fatos serão esclarecidos e os inquéritos serão arquivados. Há citações de delatores, que o processo vai comprovar que são falsas e os inquéritos serão arquivados”, disse.

Maia também disse acreditar que as investigações não vão atrapalhar o andamento dos trabalhos do Congresso, como a votação da reforma da Previdência.  “O Ministério Público e a Justiça vão fazer o seu trabalho de forma competente, cabe ao Congresso cumprir seu papel institucional de legislar. Há separação dos poderes”, disse.

Após o Estado publicar a lista dos nomes que serão investigados, o plenário da Câmara esvaziou, o que impossibilitou a votação do projeto que cria um regime de recuperação fiscal para os Estados em crise.

Maia, porém, negou que a votação tenha sido adiada para a próxima semana por causa da divulgação da lista. “Às 2 horas da tarde o quórum já era muito baixo, as dificuldades que a gente estava tendo desde cedo nos requerimentos inviabilizariam qualquer votação”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.