Maia diz não acreditar em prisão imediata

O presidente da Câmara dos Deputado, Marco Maia (PT-RS), não descartou hoje a possibilidade de abrir as portas da Casa para dar asilo aos parlamentares condenados no processo de mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Como a Polícia Federal não tem autorização para entrar no Parlamento, os parlamentares estariam "a salvo" da prisão.

DÉBORA BERGAMASCO, Agência Estado

20 de dezembro de 2012 | 15h25

Apesar de não negar esta hipótese, Maia disse que não acredita que o presidente do Supremo, ministro Joaquim Barbosa, acate o pedido do Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, de prender imediatamente os parlamentares já condenados na ação penal 470. "É uma suposição tão vaga que nem acredito que isso possa acontecer. (E se acontecer), aí teremos que pensar no que fazer", concluiu Maia.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãojulgamentoMaia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.