Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Maia diz esperar que Lula seja julgado com "isenção"

Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4) marcou para o dia 24 de janeiro o julgamento do petista na Operação Lava Jato sobre o caso

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2017 | 21h45

Brasília - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse esperar nesta terça-feira, 12, que o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aconteça com “isenção”. O Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4) marcou para o dia 24 de janeiro o julgamento do petista na Operação Lava Jato sobre o caso do triplex.

Lula condenado pode disputar eleições?

O futuro de Lula nas mãos de Gebran, Paulsen e Laus

“Eu sou oposição ao presidente Lula, sempre fui, o que eu espero é que o julgamento tenha isenção. Tenho certeza que os desembargadores do TRF4 tem essa isenção para julgar o ex-presidente de forma correta”, disse.

Maia afirmou também ficar preocupado com o fato de que a data do julgamento do ex-presidente estar sendo discutido “pela imprensa” e que “pressões” da opinião pública mobilizassem o Judiciário.

Moro manda prender dois condenados em 2ª instância

“Eu acho que um julgamento de qualquer cidadão não pode ter interferência politica, tem que ser uma decisão da Justiça. Se eles (desembargadores) estão confortáveis em pautar dia 24, se isso não tem interferência politica, se o ex-presidente vai ter, como nós sabemos que terá, um julgamento transparente, isento, então tudo bem”, disse.

Lula foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses por corrupção e lavagem de dinheiro em 1ª instância, em 12 de julho, no caso triplex. O TRF4 é o tribunal de apelação. Se a condenação de Lula for confirmada pelo colegiado, ele poderá se tornar inelegível pelos critérios da Lei da Ficha Limpa. Lula também poderá ser preso. Com base em jurisprudência firmada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), condenados em 2.ª instância podem ter sua pena executada.

TV Estadão: Temer e Maia admitem dificuldade para votar reforma da Previdência este ano

Maia marca última sessão do ano no dia 20, deixando pouco tempo para votar a reforma da Previdência

Assim como Lula, Maia também é alvo de inquéritos na Operação Lava Jato, mas, como tem foro privilegiado, suas investigações tramitam no Supremo Tribunal Federal e não na primeira instância.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.