Editoria de Arte/Estadao
Editoria de Arte/Estadao

Por celeridade em votação, Maia diz que 'paciente não pode ficar com barriga aberta'

Após almoço em São Paulo, com o prefeito em exercício Milton Leite (DEM), presidente da Câmara afirma que 'papel' dos deputados é votar e que haverá quórum na quarta-feira, 2

Marcelo Osakabe, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2017 | 15h48

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta sexta-feira, 28, em São Paulo, ter certeza que haverá quórum na quarta feira, 2, para a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer. Maia também afirmou que não o Congresso não pode postergar a votação, sob o risco de manter o País paralisado.

"Nosso papel é votar. Não votar é manter o País parado neste momento ainda de muitas dificuldades" disse, ao reagir a relatos de que o Planalto poderia reconsiderar a estratégia de pôr a votação da denúncia na próxima semana. "Não podemos deixar o paciente no centro cirúrgico com a barriga aberta".

Ele estimou em 480 o numero de presentes no dia da sessão. "A gente precisa encerrar a denúncia e voltar para a agenda de reformas", resumiu. Maia almoçou com o prefeito em exercício da capital paulista, Milton Leite (DEM). Também estavam no almoço o secretário estadual de Habitação, Rodrigo Garcia, deputados, vereadores e prefeitos do partido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.