Maia defende abertura do sigilo de documentos

O presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), defendeu hoje a abertura do sigilo de informações sobre documentos considerados ultrassecretos. "A sociedade tem direito de conhecer a sua história. Quanto mais a história for divulgada, melhor. Não vejo nenhum problema, se gradativamente, o Brasil vá liberando e trabalhando isso com a sociedade. Esse é um debate que precisamos fazer mas, na minha opinião, essa é uma questão que faz parte da história do Brasil e, portanto, pode e deve estar à disposição da sociedade como um todo", disse Maia, após a solenidade de posse dos ministros Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Luiz Sérgio (Pesca e Aquicultura).

TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

13 de junho de 2011 | 16h51

Questionado sobre a pressão que os ex-presidentes José Sarney e Fernando Collor estariam fazendo para que esses conteúdos não sejam abertos, Maia disse: "Eu não sei de nenhum movimento nesse sentido". Sobre o fato de possível abertura do sigilo vir a desagradar os dois ex-presidentes, Maia disse: "Não acho que vai desagradá-los".

A nova ministra das Relações Institucionais afirmou que o governo vai defender o sigilo eterno desses documentos para atender ao desejo de ex-presidentes como Sarney e Fernando Collor.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilmadocumentossigiloprojeto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.