Maia busca acordos para retomar votações na Câmara

No cargo de presidente da República em exercício, o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), exerceu nesta terça a tarefa de articulador legislativo. Desde a manhã, ele tem se reunido com os líderes em busca de um acordo para retomar as votações na Câmara, depois da interrupção na semana passada motivada pela crise envolvendo o governo e a base parlamentar da presidente Dilma Rousseff. O café da manhã foi com o líder do governo, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), o almoço, com os líderes da oposição, Bruno Araújo (PSDB-PE) e Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA), e à tarde, se reuniu novamente com Chinaglia e com o líder do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves (RN).

DENISE MADUEÑO, Agência Estado

27 de março de 2012 | 18h18

"Foi a primeira tentativa de entendimento. Ele (Marco Maia) vai dar outros passos no sentido de manter o diálogo", afirmou ACM Neto, após o encontro. "O impasse político da semana passada está mantido. Avançar para a marcação de uma data (para votação do Código Florestal) é fundamental", disse o líder do DEM. A oposição e setores da base - principalmente os ruralistas - condicionam a votação do projeto de Lei Geral da Copa à votação do polêmico Código Florestal. Depois da longa rodada de negociação, não há ainda sinal de acordo em torno do projeto do código e, em consequência, da votação da Lei Geral da Copa.

"O fato é que, hoje, não há consenso para votar a Lei da Copa ou o Código Florestal", afirmou o líder do PT, deputado Jilmar Tatto (SP). "Os líderes estão dando um tempo para o governo discutir o projeto", completou o petista. Chinaglia mantém a posição de não definir uma data para votação. Ele argumenta que trabalha para um acordo em torno do conteúdo do projeto de Código Florestal e a definição do dia de votação seria uma consequência.

"Todos querem avançar e chegar a um acordo em torno no Código Florestal. Quem sabe depois da Semana Santa o espírito cristão possa penetrar em todos. Quem sabe pode ajudar", afirmou o líder do PMDB. Henrique Eduardo Alves disse haver necessidade de ajustes no texto do projeto. "Há algumas correções que a Câmara quer fazer. O relator, deputado Paulo Piau (PMDB-MG), está buscando isso com o governo", disse o Alves. Segundo ele, se for necessário, o relator poderá sugerir algum instrumento, como a edição de uma medida provisória, para mexer na proposta ambiental.

Paralelamente às reuniões de Marco Maia, a presidente em exercício da Câmara, deputada Rose de Freitas (PMDB-ES), reuniu os líderes para discutir a pauta de votação da semana. Os parlamentares concordaram em votar em primeiro turno a proposta de emenda constitucional criando a carreira de procurador dos municípios, a exemplo do que existe nos Estados e no Distrito Federal.

Tudo o que sabemos sobre:
Maispresidência em exercícioCâmara

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.