Ed Ferreira/AE
Ed Ferreira/AE

Maia aposta em quórum alto para aprovar MPs e LDO

Presidente da Câmara acredita que Congresso votará MPs e LDO nesta terça-feira

Eduardo Bresciani, da Agência Estado

16 de julho de 2012 | 17h35

O presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), afirmou que haverá "quórum altíssimo" nesta segunda e terça-feira, 16 e 17, respectivamente, na Casa para a votação das Medidas Provisórias do Plano Brasil Maior. Ele prevê que nesta terça-feira sejam aprovadas essas duas MPs e a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), com o Congresso entrando em recesso na quarta-feira, como previsto. Caso a LDO não seja votada, as MPs passariam a perder a validade no dia 1º de agosto.

"Nós temos informações muito precisas de que teremos quórum altíssimo, hoje e amanhã", afirmou Marco Maia atribuindo o levantamento às lideranças partidárias de partidos aliados. "A base volta hoje com força total para fazer as votações que têm de ser feitas", concluiu.

A oposição está em obstrução, cobrando a liberação de recursos de emendas parlamentares prometidos pelo governo. Para Marco Maia, as votações ocorrerão mesmo que não se evolua para um acordo. "O único risco que nós temos é de não ter acordo para votações e termos de realizar sessões mais longas para vencer a obstrução feita pela oposição, mas quórum nós teremos", afirmou.

O líder do PT na Câmara, deputado Jilmar Tatto (SP), é outro que prevê votações de qualquer maneira. Ele, aliás, afirma que se não evoluir para um acordo com a oposição, o governo não teria mais obrigação de liberar recursos prometidos. "Se votarmos sem acordo, eu entendo que o acordo com eles (oposição) não existe mais", disse.

Vice-líder do governo, o deputado José Guimarães (PT-CE) acredita que o quórum aumentará por volta das 20 horas desta segunda-feira. Até as 17 horas, menos de 150 deputados haviam registrado presença, quando são necessários 257 para iniciar as votações. Chamado por Guimarães para corroborar a informação, o deputado Inocêncio Oliveira (PR-PE) disse duvidar de um quórum alto ainda hoje. "Vai ter que se tentar um acordo porque hoje o quórum será baixo".

Tudo o que sabemos sobre:
Marco MaiaCâmaraLDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.