Maia admite que PSDB e PFL poderão estar novamente juntos

A aliança entre PSDB e PFL para as eleições presidenciais deste ano está prestes a ser fechada e poderá ser anunciada até o final desta semana. Em entrevista concedida à Agência Estado, o prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia (PFL), garantiu que a decisão sobre o tema "caberá exclusivamente" ao governador Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à Presidência. E nesta quarta-feira pela manhã, o governador paulista reiterou o desejo de ter o PFL em sua chapa nessas eleições presidenciais."Se ele (Alckmin) entender que para a candidatura dele e da oposição, é melhor o PFL somar na vice-presidência, nós faremos isso. Agora, o que o PFL quer é que ele tenha o peso e a dimensão da decisão", disse o prefeito. Na próxima sexta-feira, dia 24, Maia e Alckmin encontram-se no Rio de Janeiro para tratar deste tema. "Se o governador disser (neste encontro) que o melhor é dar a vaga de vice para ir junto (com o PFL) já no primeiro turno (das eleições), ele estará assumindo a responsabilidade para ele dessa decisão," reiterou. A respeito do nome mais adequado para ocupar a vice-presidência na chapa tucana, Cesar Maia disse: "Meu preferido será o escolhido pelo governador Alckmin".Disputa com LulaApesar da proximidade maior com o prefeito José Serra (PSDB), que perdeu a disputa interna no PSDB Alckmin, o prefeito do Rio tem certeza que qualquer candidato que enfrentar o presidente Lula no segundo turno terá condições de derrotá-lo. "Alckmin pode ter certeza de que vou ajudá-lo nessa campanha (presidencial) e ninguém será mais militante da sua candidatura do que eu. Serei um soldado dessa candidatura."Além de abrir mão da disputa presidencial, Cesar Maia afirmou que não pretende se desincompatibilizar da prefeitura para disputar as eleições para o governo do Rio. Apesar das manifestações que vem recebendo nesse sentido, inclusive do candidato tucano, o prefeito disse que depois de dizer a Alckmin que a decisão sobre a aliança com o PFL depende exclusivamente dele, "pegará as malas (no sábado pela manhã) e viajará para Quito" (capital do Equador), onde assina convênio de revitalização do centro histórico. "Só volto ao Rio no dia 1º de abril."Antes de se reunir com o governador paulista, Cesar Maia encontra-se com o presidente nacional do PFL, Jorge Bornhausen. Os dois pefelistas encontram-se nesta quinta para falar sobre as consultas internas realizadas pela legenda, inclusive a respeito do nome do vice que deverá compor a chapa tucana. "O vice é uma pessoa que tem de estar absolutamente integrada, como elemento de confiança e garantia de lealdade. Precisamos de um vice como Marco Maciel, que não será o caso, nas eleições deste ano." O PFL está ouvindo senadores, deputados, governadores e prefeitos, "mas no final a decisão será tomada pelo próprio governador Alckmin".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.