Mãe reencontra filho sequestrado há quinze anos

O drama de Maria Célia Vargas acabou na tarde de hoje. Ela reencontrou seu filho Hugo Vargas Rozner, que foi seqüestrado há cerca de 15 anos pelo pai, Raymond Rozner, ex-marido de Maria Célia. O primeiro abraço depois de tantos anos entre mãe e filho estava previsto para acontecer no Aeroporto de Nice, no sul da França, onde o rapaz vive desde os 3 anos. Para achar Hugo, Maria Célia teve a ajuda do senador Eduardo Suplicy (PT), que interveio no governo federal e em várias embaixadas. Há uma semana, Maria Célia conseguiu mandar uma carta para o filho, que hoje tem 18 anos, e falou com ele por telefone."Houve tempo em que até a minha filha tinha ficado desiludida, pois nem a Interpol conseguia encontrá-lo", disse a mãe de Maria Célia, Hilda Rodrigues Vargas, que negou parentesco com o ex-presidente Getúlio Vargas. No fim dos anos 70, Maria Célia trabalhava na Embaixada do Brasil na França e conheceu Rozner, que trabalhava na caixa econômica francesa. Namoraram e casaram-se no Rio. Em 1983, nasceu Hugo. Voltaram para a França, até que o marido disse que gostaria de trabalhar na filial do banco em Miami, nos Estados Unidos.Lá, ela descobriu que seu marido queria assaltar o banco. Separou-se e voltou para o Brasil, onde ficou três anos com o filho. Em 1º de dezembro de 1986, Rozner, em sua terceira visita ao País, disse que ia sair com a criança. "Ele nunca mais voltou. Estava com tudo preparado", lembra a avó. Maria Célia foi para a França várias vezes atrás do filho. Em uma das conversas com Rozner, apanhou e foi hospitalizada. Ao longo dos anos, ela fez apelos até ao ex-presidente francês François Mitterrand. Há duas semanas, Hugo foi encontrado pelo Serviço Social Francês de Ajuda aos Imigrantes. O caso foi comunicado às autoridades francesas e brasileiras. Domingo, mãe e filho devem chegar de volta ao Rio. Após a separação, Maria Célia casou-se e teve mais dois filhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.