Mãe de Patrus abençoa candidatura do filho a vice-governador de MG

O ex-ministro decidiu fazer, antes do anúncio oficial, uma série de consultas sentimentais na terra natal, em Bocaiúva

Eduardo Kattah, de O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2010 | 18h36

BELO HORIZONTE - Com a bênção da mãe, dona Maria Teresa Patrus Ananias, de 84 anos, o ex-ministro Patrus Ananias (PT) pretende anunciar nos próximos dias a decisão de compor como vice na chapa encabeçada pelo senador Hélio Costa (PMDB) ao governo de Minas. Depois de ouvir vários apelos e receber a garantia de que a aliança com os peemedebistas se dará no campo "programático", o ex-ministro decidiu fazer, antes do anúncio oficial, uma série de consultas sentimentais na terra natal, em Bocaiúva, no norte do Estado.

 

Antes mesmo da visita prevista para esta quarta-feira, 23, dona Maria Teresa adiantou à imprensa mineira que irá apoiar a decisão que o filho tomar. "Dou a bênção sim, com certeza", declarou ao jornal O Tempo.

 

Depois de ser derrotado na prévia do PT-MG, Patrus relutava em sair candidato, afirmando que pretendia voltar a dar aulas e se dedicar à militância política e social. Nos últimos dias, acabou convencido que o PT mineiro está de fato unido e disposto a lutar por uma vitória da base lulista no segundo colégio eleitoral do País. Ao Estado, o ex-ministro disse nesta terça-feira, 22, que somente um imprevisto fará com que ele não aceite o posto de vice. "As coisas estão caminhando bem. A decisão final não foi tomada ainda, mas a tendência é essa."

 

Patrus condiciona sua candidatura ao envolvimento das lideranças petistas e de partidos aliados e a uma estratégia conjunta da campanha estadual com a campanha da presidenciável petista Dilma Rousseff. "Só disporei a ser candidato num contexto sério, de ser para valer". Também já fala em questões que espera ver no programa de governo de Costa, como a implantação do orçamento participativo estadual. "A ideia é disputar e ganhar o governo de Minas para implantar nosso projeto social de apoio aos pobres".

 

A expectativa é que o anúncio ocorra durante as convenções dos diretórios do PMDB e do PT neste fim de semana ou mesmo na próxima semana.

 

Sobre a bênção da mãe, o ex-ministro lembra que dona Maria Teresa representa a "simbologia" de Bocaiúva. "Minha mãe traduz essa dimensão mais ampla da minha terra, das minhas origens."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.