Madeireiro invade Ibama, faz refém e é preso

O madeireiro Tirso Botuluzzo foi preso ontem em flagrante pela Polícia Federal de Santarém depois de manter em cárcere privado por duas horas a gerente substituta do órgão naquele município, Rosária Sena Farias. Ele queria que Rosária autorizasse a execução de seu plano de manejo na região de Castelo dos Sonhos, onde é grande a grilagem de terras e a extração de madeira em reservas indígenas. O delegado federal Walame Fialho conseguiu entrar no gabinete com seus agentes, deu voz de prisão a Botuluzzo, algemou-o e o levou para a sede da PF no município, indiciando o madeireiro pelos crimes de coação e cárcere privado. A gerência do Ibama em Santarém informou que o plano de manejo de Botuluzzo ainda se encontra sob análise na Divisão Jurídica do órgão e, portanto, não poderia ser liberado. O madeireiro não aceitou o argumento e então trancou as portas do gabinete, chamou seu advogado, Raimundo Nonato, e ameaçou só se retirar do local após a liberação do plano. De acordo com o gerente executivo do Ibama no Pará, Marcílio Monteiro, o fato demonstra arbitrariedade por parte do madeireiro e não se coaduna com a postura do órgão que este ano já aprovou, somente para esta safra, mais de 40 planos dentro dos parâmetros técnicos e legais. "O Ibama não vai aceitar pressão deste tipo nem contribuir para acirrar os ânimos dos conflitos fundiários na região", disse Monteiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.