Madeira nega que reformas estejam paradas

O líder do governo na Câmara e deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP) disse hoje que as reformas estruturais continuam sendo tocadas pelo governo, para responder afirmações divulgadas pela imprensa de que as mudanças seriam jogadas apenas para 2003. Ele reafirmou que a reforma tributária, como foi anunciado meses atrás, será feita por partes e exemplificou com as discussões que estão ocorrendo a respeito da substituição da Parcela de Preço Específico (PPE) sobre os combustíveis, que seria substituída por outro tributo. Segundo Madeira, também estão sendo realizadas discussões sobre a desoneração do PIS e da Cofins das exportações de bens pertencentes à cadeias produtivas mais extensas, assim como da produção do gás e carvão mineral. Com relação à reforma política, ele admitiu que as mudanças são mais difíceis, pela falta de convergência entre os parlamentares, sobre diversos temas. Madeira esteve reunido, por cerca de 2 horas, com o presidente Fernando Henrique Cardoso, em seu apartamento, em São Paulo. De acordo com o deputado, a conversa girou em torno de assuntos relacionados ao Congresso. O presidente passa o fim de semana em São Paulo, onde participará, nesta noite, de um jantar pelo aniversário de Catarina Malan, mulher do ministro da Fazenda, Pedro Malan. Amanhã, o presidente tem encontro com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, no Palácio dos Bandeirantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.