Madeira: é preciso reavaliar base do governo

O líder do governo na Câmara, Arnaldo Madeira (PSDB-SP) alertou que é necessário reavaliar a base de apoio do governo para prosseguir as votações das medidas provisórias neste período de convocação extraordinária. "Não dá para votar neste momento sem saber qual é realmente a base do governo, pois o que está prevalecendo é a disputa pela mesa da Câmara e precisamos ter cuidado", disse Madeira. A preocupação de Madeira é com relação à medida provisória que trata da regulamentação do Plano Real e que já foi reeditada 73 vezes. Para ele, que está conversando com todos os partidos sobre a crise na base de sustentação do governo, nesta situação de "instabilidde" é difícil votar matérias de impacto para o País. Ele informou que com a derrota, ontem no Congresso, que rejeitou a MP que estabelecia o quinto dia útil do mês subsequente ao de referência para o pagamento de salários dos servidores públicos federais significou uma perda de R$ 4 bilhões e que uma das consequências será o corte nas área de investimento. Madeira explicou que tecnicamente o governo pode reeditar a MP, a partir de 15 de fevereiro, por conta do início de uma nova sessão legislativa, mas disse que por enquanto não há nenhuma decisão a respeito. "O problema não é técnico; é político", admitiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.