Maciel: nova denúncia pode afastar Renan em definitivo

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Marco Maciel (DEM-PE), disse hoje que a nova denúncia contra o presidente licenciado do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), deverá ser objeto de investigação na Casa. Mesmo destacando que não tinha conhecimento total dos fatos, o democrata avaliou: "Acredito que o Senado deve, agora, prosseguir na análise dos fatos e, quem sabe, em função disso provocar o afastamento definitivo dele (Renan) das funções (presidência) no Senado".Questionado sobre a opinião do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) de que a nova denúncia, caso comprovada, poderia implicar na perda de mandato de Calheiros, Maciel foi cauteloso: "Eu não quero avançar porque acho que é muito arriscado condenar antes de concluir um julgamento. A todos é assegurado o chamado amplo direito de defesa, porque vivemos em um Estado democrático e de direito", disse.Maciel afirmou ainda que a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) será o tema que vai marcar a agenda do Senado nos meses de outubro e novembro. "Há um debate grande na Casa com relação a este assunto e uma resistência com relação à sua simples prorrogação. Eu não estaria exagerando se dissesse que o debate será muito intenso", destacou.Maciel disse que seu partido tem uma posição muito clara pela não prorrogação da CPMF, inclusive porque o Brasil vive, agora, um momento de grande estabilidade fiscal. "Aliás, conseqüência do Plano Real iniciado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e já pode dispensar outros meios de arrecadação", emendou. Para o senador, a carga tributária no País já é alta e o ideal seria a redução.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.