Machado critica apoio de tucanos à CPI

O líder do PSDB no Senado, Sérgio Machado (CE), criticou as recentes adesões dos senadores paranaenses Osmar Dias, Alvaro Dias, ambos do PSDB, e Fernando Bezerra, ex-ministro da Integração Nacional, à instalação da CPI da corrupção. Para ele, o parlamentar deve ter sempre sua estratégia própria de política regional. Na sua opinião, quem faz diferente disso "normalmente se dá mal". "O político precisa ver que pode se prejudicar se essas decisões prejudicarem o País trazendo a recessão, por exemplo", afirmou. No caso dos senadores paranaenses, ele ironizou: "se eles seguem Requião, quem é o líder?" Os três senadores alegaram pressões das suas bases políticas nos Estados para aderirem à instalação da CPI. Machado definiu como um recurso político o adiamento para a próxima semana da sessão do Congresso em que seria lido o requerimento de criação da CPI, marcado inicialmente para hoje. Ressalvou, porém, que não acredita que o presidente do Congresso, senador Jader Barbalho, tenha determinado o adiamento com tal interesse. "Quem afirma isso é a oposição", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.