Lupi segue ministro do Trabalho; Dilma confirma que pasta é do PDT

Partido aliado tinha sido exluído de reunião com governo após votar dividido na questão do mínimo

João Domingos, de O Estado de S. Paulo

03 de março de 2011 | 12h15

Depois de se reunir com a presidente Dilma Rousseff, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, afirmou que continua no cargo. A expectativa em torno do destino político do ministro devia-se ao veto de Dilma à participação do partido de Lupi, o PDT, na reunião desta quarta-feira, com os líderes dos partidos aliados. O motivo do veto foi a decisão do partido que, apesar de aliado, votou dividido o projeto do governo de reajuste do salário mínimo.

Veja também:

Governo retalia o 'não alinhado' PDT

‘É preciso acabar com essas atitudes infantis’, diz Manoel Dias

"A presidente me disse que o Ministério do Trabalho é do PDT. E o ministro do Trabalho sou eu. Me chamou para despachar, despachamos. Ela quer o PDT totalmente entrosado e me chamou para ajudar a fazer isso", disse Lupi ao Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.