Lupi reitera que não é antiético acúmulo de cargos

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, voltou a afirmar hoje que nada existe de antiético no fato de acumular os cargos de ministro e de presidente nacional do PDT. Lupi disse que aguarda o parecer final da Advocacia-Geral da União (AGU) sobre a decisão da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, que recomendou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que o demita do ministério.Lupi afirmou, novamente, que não teme uma demissão porque, segundo ele, está protegido pelo artigo da Constituição Federal que estabelece que os partidos são as representações institucionais e legítimas da política brasileira. "Nenhuma interpretação de nenhuma comissão, de nenhum cidadão brasileiro está acima da Constituição Federal. Mostrem os atos, mostrem os fatos. Digam algum ato do ministro Carlos Lupi que não seja republicano e transparente", acrescentou.As declarações dele foram feitas após a solenidade de lançamento da cartilha Brasileiros e Brasileiras no Exterior, que contém informações para quem vai trabalhar em outros países. A publicação dá dicas sobre a obtenção de vistos de trabalho, serviços prestados por consulados e risco de migrações irregulares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.