Lupi questiona policial que denunciou Orlando Silva

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, afirmou hoje que as denúncias contra o titular do Ministério do Esporte, Orlando Silva, devem ser investigadas, mas é necessário ter cautela na análise da versão narrada pelo policial militar João Dias Ferreira à revista Veja desta semana, pois a fonte seria "duvidosa". "A fonte que denuncia o ministro Orlando Silva não tem muita credibilidade, ele já foi até preso", disse na manhã de hoje, após entrevista à rádio Estadão ESPN. "Mas o processo correto é a investigação", completou.

WLADIMIR DANDRADE, Agência Estado

17 de outubro de 2011 | 12h21

Na entrevista à Estadão ESPN, Lupi discordou da sugestão de que Orlando Silva deveria se afastar do cargo durante as investigações sobre a denúncia de que ele recebeu propina nas dependências do ministério. "Não acho que ele deve se afastar porque senão ele estará condenado perante a sociedade. Se comprovado o erro, é diferente", afirmou.

O ministro do Trabalho disse que as investigações devem ser realizadas, mas resguardando o direito constitucional de presunção de inocência até haver prova em contrário. "Senão vira tribunal de inquisição, aí qualquer denúncia condena a pessoa", justificou.

Sobre sua pasta, Lupi afirmou que não há esquemas de corrupção no Ministério do Trabalho e Emprego. "Erros podem ocorrer", ressalvou, ao destacar a estrutura da pasta, que têm, segundo ele, cerca de 10 mil funcionários e 1.200 convênios. "Agora, corrupção e desvio de dinheiro envolvendo alguém do ministério não existiram até hoje", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Orlando SilvadenúnciasCarlos Lupi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.