Lupi prioriza aliados ao distribuir verba

Na sua gestão,Trabalho fechou 12 convênios com entidades e prefeituras ligadas ao PDT ou a governistas

Sônia Filgueiras, O Estadao de S.Paulo

29 Setembro 2007 | 00h00

Pelo menos 12 dos 16 convênios que o Ministério do Trabalho fechou nos últimos seis meses - gestão do presidente do PDT, Carlos Lupi - destinam verbas a entidades e prefeituras ligadas ao partido do ministro ou administradas por aliados do governo ou do PDT. Segundo informações do Portal da Transparência, da Controladoria-Geral da União (CGU), três dos convênios mais volumosos registrados na gestão de Lupi foram dirigidos a regiões de influência política do PDT. Os três somam R$ 6,7 milhões, mais da metade do total contratado durante sua gestão.Campinas, do prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT), mantém dois convênios, no total de R$ 3,593 milhões, que foram publicados no Diário Oficial da União em junho e julho. O valor equivale a 29,3% do total contratado.Um convênio de R$ 3,113 milhões (25,4% do total) foi firmado com a Federação de Desenvolvimento das Organizações do Terceiro Setor no Maranhão (FEDECMA). A entidade desenvolve ações sociais e é dirigida pela professora Marileide Rocha, mãe de Weverton Rocha, secretário Extraordinário da Juventude do governador Jackson Lago, do PDT. Rocha integra o Diretório Nacional do partido. A ONG faz parte do Consórcio Nacional da Juventude, formado por entidades selecionadas sem licitação para desenvolver ações do Programa Primeiro Emprego.Há seis convênios, publicados entre julho e setembro, com prefeituras do PT. Osasco, governada por Emídio de Souza, e Guarulhos, por Elói Pietá, conseguiram repasses de R$ 399 mil cada uma para qualificação profissional de jovens. O convênio com Diadema, gerida pelo ex-tesoureiro de campanha de Lula, José de Filippi, é de R$ 266,4 mil.Um dos últimos convênios da gestão do antecessor de Lupi, Luiz Marinho, atual ministro da Previdência, destina R$ 4,7 milhões à Cooperativa de Consumo dos Empregados da Volkswagen, uma entidade selecionada para o Programa Primeiro Emprego. O convênio foi publicado em 3 de abril, dia em que Lupi assumiu. Por causa de sucessivos fracassos, o programa está sendo extinto.EXPLICAÇÕESO Ministério do Trabalho informou que não há direcionamento político na distribuição das verbas. Os convênios são estabelecidos de acordo com a demanda local e obedecem a exigências legais.O secretário de Comunicação da Prefeitura de Campinas, Francisco de Lagos, negou favorecimento e disse que foi a importância econômica e social da cidade que a colocou entre as prioridades do ministério. Segundo ele, o valor dos dois convênios é insignificante em comparação aos R$ 530 milhões em investimentos federais já obtidos.Marileide Rocha diz que a FEDECMA cumpre todas as exigências legais e tem grande experiência no ensino de jovens de baixa renda. ''''Reunimos 190 escolas com mais de 45 mil alunos. Temos tradição. Por isso fomos selecionados.'''' A entidade substituiu a ONG Centro de Cultura Negra, que não prestou contas dos repasses. Weverton Rocha negou interferência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.