Lupi diz que pretende conversar com Dilma sobre denúncias

Na chegada ao Planalto, onde participa da reunião dos líderes aliados com a presidente, o ministro do Trabalho defendeu a apuração das supostas irregularidades na pasta

Agência Estado

07 de novembro de 2011 | 16h11

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, chegou há pouco ao Palácio do Planalto. Segundo a Secretaria de Imprensa da Presidência, Lupi participa da reunião de líderes aliados com a presidente Dilma Rousseff, como representante do PDT. Mais cedo, ao chegar a Brasília, Lupi manifestou desejo de se encontrar com a presidente para esclarecer as denúncias de que assessores do Ministério teriam cobrado propina de ONGs conveniadas com a pasta. Em entrevista à TV Globo, o ministro disse que quer que as denúncias sejam apuradas com profundidade para que sejam punidos o corrupto e o corruptor.

 

Segundo denúncias divulgadas na semana passada, assessores do Ministério teriam cobrado de 5% a 15% de propina de ONGs contratadas para capacitar trabalhadores. O ministro nega as acusações e diz ter que as irregularidades foram mostradas pelo próprio Ministério do Trabalho. Lupi credita a desafetos as denúncias e afirma que não irá sair do cargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.