Lupi diz que campanha de Dilma não ganha com dossiê

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, rechaçou hoje a existência de um dossiê patrocinado por pessoas relacionadas à campanha presidencial da ex-ministra Dilma Rousseff (PT) para supostamente prejudicar o pré-candidato do PSDB, José Serra. Segundo ele, a campanha da petista não ganharia nada com o fato. "Porque a Dilma iria fazer dossiê? Ninguém é bobo. Esse negócio é para quem não tem voto, não sabe fazer campanha", afirmou, após a Convenção Nacional do PDT, realizada em São Paulo para ratificar o apoio do partido à pré-candidata petista. "Não acredito (na existência) de dossiê. Não há provas".

ANA CONCEIÇÃO, Agência Estado

12 de junho de 2010 | 14h56

O Jornal Folha de S.Paulo publicou hoje reportagem segundo a qual pessoas ligadas à campanha da pré-candidata Dilma teriam elaborado um dossiê a partir de dados fiscais e financeiros sigilosos do vice-presidente-executivo do PSDB, Eduardo Jorge. Isso configuraria crime de quebra de sigilo.

Para o ministro, a campanha deve seguir na linha preconizada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de comparação entre governos. "Eu quero comparar o que foi feito no governo Fernando Henrique Cardoso e o que o Lula fez, e deixar a população fazer o julgamento."

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesDilmadossiê

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.