Lupi defende aumento do salário mínimo em ano eleitoral

Ministro disse em entrevista a emissoras de rádio que eleição não pode 'parar máquina administrativa'

estadao.com.br,

07 de janeiro de 2010 | 10h22

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, defendeu nesta quinta-feira, 7, o aumento de 9,67% do salário mínimo em ano eleitoral e ressaltou que a proximidade com as eleições não pode impedir reajustes necessários.

 

Em entrevista concedida à emissoras de rádio durante o programa "Bom Dia, Ministro", Lupi disse que não pode "responsabilizar a população" pelo momento político. "Se é ano eleitoral, paciência, não podemos parar a máquina administrativa", acrescentou.

 

Os novos reajustes aprovados pelo ministério, que estão em vigor desde dia 1º de janeiro, elevaram o valor do salário mínimo de R$ 465 para R$ 510 e do seguro-desemprego, que agora está entre R$ 841,89 e R$ 954,21.

 

O ministro afirmou também que a expectativa para 2010 é de que sejam criados cerca de 2 milhões de empregos com carteira assinada no País.

 

Com informações da Agência Brasil

Tudo o que sabemos sobre:
LUPISALARIO-MINIMOELEICOES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.