Lupi anuncia volta de blitze contra trabalho escravo

O Ministério do Trabalho retomará na segunda-feira as operações de fiscalização contra o trabalho escravo no País. Elas foram interrompidas há 19 dias, depois que senadores contestaram a libertação de 1.064 trabalhadores, a maioria cortadores de cana-de-açúcar, de uma fazenda da empresa Pagrisa no Pará. O anúncio foi feito ontem pelo ministro Carlos Lupi. Em resposta à acusação de parlamentares de que o Grupo Especial Móvel de Fiscalização do Trabalho Escravo estava cometendo abusos nas operações, Lupi assinou um termo de cooperação com a Advocacia-Geral da União, que disponibilizará advogados aos fiscais do Grupo Móvel que forem convocados a prestar esclarecimento sobre as ações. "Se excessos forem cometidos, serão punidos", afirmou o coordenador do Grupo Móvel, Marcelo Campos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.