Lula: 'Vou continuar fazendo política'

"Quem imaginar que vou deixar a política e vou viajar para o estrangeiro vai quebrar a cara. Quem imaginar que vou deixar a política e vou ficar em casa ao lado da Marisa vai quebrar a cara. Vou continuar fazendo política. Vou continuar andando por esse País e vou continuar ajudando o povo brasileiro a conquistar definitivamente a sua cidadania". Com esse recado mandado para seus adversários, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerrou seu discurso para jovens cearenses atendidos pelo Projovem Urbano, programa lançado em Fortaleza em junho de 2005 e que já contemplou 13 mil pessoas na faixa etária entre 18 e 29 anos, que não haviam conseguido concluir o Ensino Fundamental.

CARMEM POMPEU, Agência Estado

08 de junho de 2010 | 20h12

Ao lado da prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT) e do governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), Lula discursou para estudantes presentes no ginásio Paulo Sarasate. Brincou com os jornalistas, dizendo que eles deveriam fazer uma matéria ressaltando os números do programa e enaltecendo a conquistas dos jovens atendidos por ele. Bem humorado, prometeu dar para o autor da melhor matéria um beijo e um abraço."Se vocês querem ganhar o Prêmio Esso de Jornalismo façam uma matéria sobre esse assunto", comentou.

Lula leu o exemplo de Eliane, 27 anos, mãe de quatro garotos e já viúva. Ela havia parado de estudar na quinta série e resolveu voltar a estudar. Ele também apresentou dados de que 60% dos jovens atendidos eram de mulheres e já com filhos. "São meninas que deveriam estar brincando de ser meninas e já são mães", comentou. E em tom paternal passou um sermão: "Uma mulher encontra um homem em qualquer lugar do mundo. Um homem encontra uma mulher em qualquer lugar. Mas oportunidade é como achar agulha num palheiro". E emendou: "Sou um presidente que estudou até a quarta série e fez curso no Senai. Perdeu três eleições. Mas esse presidente não desistiu nunca".

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoLulapolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.